23 fevereiro 2010

A idade de ser FELIZ...


"Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.
Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa."

17 fevereiro 2010

Dá-me uma Abraço...

Dá-me um abraço que seja forte
E me conforte a cada canto
Não digas nada que o nada é tanto
E eu não me importo
Dá-me um abraço fica por perto
Neste aperto tão pouco espaço
Não quero mais nada, só o silêncio
Do teu abraço
Já me perdi sem rumo certo
Já me venci pelo cansaço
E estando longe, estive tão perto
Do teu abraço
Dá-me um abraço que me desperte
E me aperte sem me apertar
Que eu já estou perto abre os teus braços
Quando eu chegar
É nesse abraço que eu descanso
Esse espaço que me sossega
E quando possas dá-me outro abraço
Só um não chega

"Miguel Gameiro"

Bem só posso dizer que adoro esta música, e que já a ouvi vezes sem conta...

12 fevereiro 2010

Bob o Construtor...

Hoje o Gabriel foi disfarçado de "Bob o Construtor", e posso-vos contar que ia numa felicidade só...dava gozo ver...
O que ele adorou o capacete...
Assim que consiga coloco aqui as fotos...

10 fevereiro 2010


Todos os dias Deus dá-nos um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes. O instante mágico é o momento em que um 'sim' ou um 'não' podem mudar toda a nossa existência.

08 fevereiro 2010

Não quero pensar nisso!


Este mês saiu publicado na Revista "Saber Viver", um texto de "Teresa marta - Mestre em Relações de Ajuda", o qual passo a transcrever:

Não reflectirmos é darmos aos acontecimentos oportunidade de fugirem ao nosso controlo.

"JÁ PENSOU EM QUANTAS VEZES PENSA: «não quero pensar nisso!»? Que azar: ao dizermos esta simples expressão já estamos, de facto, a pensar...nisso! No entanto, estamos a fugir da reflexão. De reflectir sobre o que nos acontece. E, se o fizermos em permanência, só estamos a contribuir para adiar os nossos problemas. Não resolvemos. Adiamos. E adiamo-los para quando? Para mais tarde! Sim, mas para quando?
Quando se vai dar ao trabalho de pensar sobre os pensamentos nos quais não quer pensar? Quando for tarde de mais? Quando, entretanto, os acontecimentos tenham por si próprios, tomado um rumo, um caminho, que de repente você percebe que já não consegue controlar? Que já não consegue acompanhar? Martin Heidegger escreveu uma vez sobre o facto de existirem em nós dois tipos de pensamento: o pensamento que calcula e o pensamento que reflecte. Heidegger queria dizer que o pensamento que calcula é o pensamento imediato, o que ocorre de objectivo em objectivo, de oportunidade em oportunidade, que calcula mas que nunca pára. Ou seja, nunca chega a meditar!
Como são actuais estas palavras do filósofo pronunciadas em 1949! À semelhança desse tempo, também nós, hoje, fugimos do pensamento. E de que pensamento? Do pensamento que reflecte. Fugimos de reflectir nas coisas «Já tenho duas contas ordenado e outra vez sem dinheiro antes do final do mês...Não quero pensar nisso!»; «já é a terceira vez que inicio uma dieta e não consigo emagrecer. Apetece-me um pastel de nata. Que seja! Agora não quero pensar nisso!». E assim vamos nós. De pensamento em pensamento. Mas sem parar para reflectir.
De facto, o pensamento que reflecte custa. É difícil. Dói-nos. Faz doer nos outros. Tem impacto neles. E em nós. O pensamento que reflecte é aquele que medita sobre tudo o que nos acontece.
Se realmente está disposto a reflectir, experimente fazer algo tão simples como isto: em primeiro lugar não adie mais decisões. Nomeadamente, as que anda a tentar tomar à muito tempo. Se as pensa há tanto tempo é porque fazem sentido. Por isso aja!
Em segundo lugar, permita-se ir além dos seus pensamentos. Permita-se reflectir. Dentro dos seus limites. Sempre sem deixar de pensar e conseguir reflectir um pouco sobre o «porquê» vai estar a desenrolar mais uns quantos nós cegos que tem vindo a dar na sua vida. Arrisque reflectir.
Em terceiro lugar, se tiver pensamentos ruminantes, daqueles que estão sempre lá, das duas uma: se forem bons e não tiver coragem para os concretizar, experimente fazê-lo! Mas se os pensamentos forem maus, reflicta! Podem ser alertas. Para coisas más das quais se deve afastar. Ou para coisas boas que não anda a ver.
Finalmente, nunca, mas nunca, pense que algo lhe vai correr mal. Isso é o primeiro passo para que as coisas corram mesmo mal.
Se esse pensamento lhe surgir, reflicta: porque é que estou a pensar que isto vai correr mal? Há necessidade? Que ganho com isso?..."

BOAS REFLEXÕES!!

04 fevereiro 2010

Parece um labirinto...

Decisões difíceis...
Existem alturas na nossa vida em que temos que tomar algumas decisões difíceis...
Quantas vezes nos perguntamos se estamos a agir da melhor forma, se aquilo que estamos a decidir é o caminho mais correcto, se não haveria mais nenhuma solução passível de ser tomada?
Nos últimos dias tenho-me debatido tanto com essa questão que quase me sinto sufocar!
Mais difícil se torna quando as nossas decisões vão influir sobre as vida daqueles que nos são mais queridos!
Ainda assim não vou desistir, e como de tantas outras vezes, vou dar a volta por cima...vou mesmo...
Não vou retroceder, na minha tomada de decisão, até porque a a partir do momento em que deixe de acreditar em mim própria e nos meus objectivos, deixo de ser eu mesma...e não é isso que eu quero.
Como tal, vou com calma, devagarinho, pé ante pé, mas com a força, a coragem e a garra que me estão implícitas e chego lá...há quem diga, que por vezes, temos de ir muito fundo, para depois ver-mos realmente a luz... ok, tudo bem, então que seja...
Para mim, garanto-vos que me basta acreditar, pelo menos até aqui tem sido assim...
Não sou muito de ficar a pensar se tivesse dito isto isto, se tivesse feito aquilo, se não tivesse tomado aquela decisão...definitivamente não sou assim, não sei se feliz ou infelizmente, ajo mais por impulso, e mais com o coração...enfim acredito que o que não tem que ser...definitivamente tem um porquê, que podemos não entender no momento, mas que por vezes não deixa de ser o melhor para nós...

Apetece-me:
"Desligar o cérebro e gozar a vida exclusivamente pelos sentidos. Não pensar, não lembrar, não racionalizar, não analisar, só sentir, sonhar, rir, numa palavra VIVER."

02 fevereiro 2010

Frases...


"Não faça da sua vida um rascunho, pois pode não dar tempo de passar a limpo."
...
"Somos o que fazemos, mas somos principalmente o que fazemos para mudar o que somos."
...
"É melhor estar preparado para uma oportunidade e não ter nenhuma, do que ter uma oportunidade e não estar preparado..."